sexta-feira, 20 de março de 2015

Ativistas acusados da morte do cinegrafista Santiago Andrade são liberados da prisão

Nesta sexta- feira (20) os acusados deixaram a penitenciária Complexo Penitenciário de Bangu, na Zona Oeste do Rio. Os autores, Fábio Raposo e Caio Silva de Souza foram acusados de acender rojão em manifestação no dia 6 de fevereiro de 2014 no RJ, ato que levou a morte do cinegrafista Santiago Andrade da TV Bandeirantes.

 Por questões financeiras os autores não foram liberados nessa quinta- feira (19), os mesmos iriam ser liberados com tornozeleiras eletrônicas. Segundo a Secretaria Estadual de Administração Penitenciária, o equipamento não é fornecido há quatro meses, por falta de pagamento.
Fábio Raposo (esq.) e Caio Silva de Souza (dir.)

Nesta quarta- feira (18) os desembargadores desclassificaram os homicídios duplamente qualificados, o Ministério Público afirmou que vai recorrer da decisão da Justiça.

                                        

Os acusados respondiam por homicídio triplamente qualificado: por motivo torpe, com uso de explosivo e mediante recurso que tornou impossível a defesa da vítima. Depois da nova decisão, eles podem ser condenados, no máximo, por explosão seguida de morte. A
 pena, que variava de 12 a 30 anos, agora vai de 2 a 8 anos.


O cinegrafista foi morto aos 49 anos, no dia 6 de fevereiro de 2014, ao ser atingido na cabeça pelo rojão lançado por Caio e Fábio durante um protesto contra um aumento das passagens de ônibus, que acontecia no RJ (Centro).


Desde então, todos os representantes da imprensa, incluindo a Federação Nacional dos Jornalistas expõe tamanha repulsa a violência e pedem a punição dos responsáveis.
Os ativistas não podem sair sem a merecida pena após barbaridade cometida. Santiago Andrade foi um de muitos Jornalistas que morreram, sofreram agressões verbais e físicas por conta da profissão. Profissão merecida de respeito, transmitimos a informação e ligamos países através da comunicação. Esperamos que o Ministério Público consiga a prisão merecida dos acusados.


                           


Nenhum comentário:

Postar um comentário