terça-feira, 7 de abril de 2015

Serra histórica do RJ sofre abandono e descaso no transporte público

A semana inicia com mais um dia de sufoco pra quem necessita do transporte público.
Nesta segunda-feira (6), a única linha de ônibus, Trel, que liga Magé á Petrópolis, Região Serrana do Rj, saiu ás 6h do terminal em Piabetá derramando óleo pela pista, porém o perigo começou ao chegar na Serra Velha da Estrela, (RJ 107 , Serra Velha), onde a pista é de paralelepípedo.
                               
                                        

Motoristas foram impedidos de seguir viagem, causando retenção até a retirada do excesso do óleo, que foi minimizado com a ajuda do Clima úmido da Serra ao decorrer do dia.
                             
Retenção na via
                                       
Em entrevista com o Foca, uma professora de Petrópolis informou ‘’ a linha Trel não passa por manutenções e não possuem horários, quem passa pela Serra sofre com o transporte público, passamos por estes problemas a semana inteira. ’’

Trabalhadores e alunos, se arriscaram ao subir a Serra a pé, crianças passavam na beira do abismo, onde sofreram perigo constante. A Serra foi liberada somente ás 9h, mesmo assim ainda havia óleo e motoristas subiam com cautela. A linha se encontra em total descaso, um desrespeito com trabalhadores e alunos que necessitam do transporte público.
                                           
                         
    
Trabalhadores e estudantes se arriscando na beira do abismo
              
Uma pequena parte da Serra é a mais antiga do Brasil, construída pelo Barão de Mauá em 1854 e que unia o porto de Mauá (Guia de Pacobaíba) à estação de Raiz da Serra
(Vila Inhomerim). Teve a honrosa função de facilitar o acesso da Família Imperial até o alto da Serra. Desconhecida por muitos, a Serra Velha oferece um clima confortável, e contato com a natureza, a mesma oferece uma linda paisagem da Baía de Guanabara e da Baixada Fluminense.

Estação no Meio da Serra, por volta de 1900
                                 
 Havia por ali a Fábrica de Tecidos Cometa, que possuía linha ferroviária própria, com acesso pouco depois da estação Meio da Serra. A fábrica ainda tem suas ruínas e chaminés visíveis no meio da mata.
                               
Vista das ruínas da Fábrica de Tecidos Cometa
                               
Por estar entre as cidades de Petrópolis e Magé, a responsabilidade de conservação desta estrada é deixada de lado, mostrando omissão e falta de respeito com os moradores e usuários da Serra. Apesar da história cultural rica, e com uma natureza admirável, a Serra sofre com o abandono.

Moradores e frequentadores da Serra Velha, esperam por atitudes Governamentais para que a mesma seja devidamente valorizada, e sua cultura histórica seja reconhecida.



Baixada Fluminense e Baía de Guanabara aos pés da Serra

                       

Nenhum comentário:

Postar um comentário