domingo, 24 de maio de 2015

Votação histórica

Irlanda onde 84,2% da população se declara Católica, tornou-se o primeiro país do mundo a legalizar o casamento homossexual através do voto popular.

Mais de 3,2 milhões de pessoas foram às urnas, muitos irlandeses que não moram no país voltaram apenas para participar da votação.
                         
                             

A Votação histórica foi aprovada nesta sexta-feira (22), o "sim" atingiu 62% dos votos, com 38% para o "não". A Igreja defendeu o voto "não", em um país no qual mais de 90% das escolas do ensino básico estão sob a tutela da instituição, os sinos tocam duas vezes por dia na televisão pública.
                            
                              

Na votação houve um telão no castelo de Dublin, parcialmente aberto ao público.
 Segundo a Reuters, ''em 1993, apenas um terço do país apoiava a descriminalização do sexo entre gays para homens acima de 17 anos'', informou uma pesquisa da época. 

Um juíz de um tribunal supremo informou que ''em 1983 que a homossexualidade era moralmente errada e contribuía para depressão e suicídio'', disse.
                            
                            

Mesmo com a medida aprovada, as Igrejas Católicas ainda vão poder decidir se celebram este tipo de casamento. Eamon Martin, o líder da Igreja Católica na Irlanda, disse que ''a igreja poderá analisar se continuará a fazer a parte civil da cerimônia se a mudança for aceita'', informou o líder.

O arcebispo católico de Dublin, Diarmuid Martin, disse que, agora a igreja tem "uma imensa missão diante de si". Contou ainda que "eu acho que a igreja precisa fazer uma revisão da realidade", disse o líder religioso.

O ministro da Saúde, Leo Varadkar, que no início do ano foi o primeiro ministro na história da Irlanda a se assumir abertamente como gay, contou que a campanha foi "quase uma revolução social". 


Atualmente, o casamento entre pessoas do mesmo sexo é legalizado em 20 países do
mundo, inclusive no Brasil.



















































































































































ita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário