quinta-feira, 25 de junho de 2015

Revelação comportamental do jovem brasileiro

Sexo sem camisinha, álcool e direção, drogas, aborto, depressão, suicídio: pesquisa revela o assustador retrato comportamental do jovem brasileiro.                    
                             
Levantamento Nacional de Álcool e Drogas (Lenad), divulgou resultado de pesquisa realizada com jovens entre 14 e 25 anos, de 149 municípios, realizado pela Universidade Federal de São Paulo, que analisou o comportamento de risco dos jovens no país. 


Segundo a pesquisa, m
etade dos jovens consomem bebidas alcoólicas e o consumo se inicia aos 15 anos. Desses, 36% afirmam fazer uso nocivo do álcool (bebem 4 ou mais doses em 2 horas). O fato mais interessante é a quantidade de jovens que dirige alcoolizada: quase um terço já conduziu após beber.
Um dos dados de mais impacto da pesquisa: 34% dos jovens assumiram que nunca ou quase nunca usam camisinha durante as relações sexuais. Aumentando os riscos de doenças sexualmente transmissíveis e gravidez precoce. 
A gravidez precoce, atinge um terço das garotas brasileiras e pelo menos uma entre cada dez meninas de 14 a 20 anos já sofreu um aborto. Entre as que têm de 20 a 25 anos, a quantidade sobe para quase 15%. 

                          
 Apesar de 89% dos jovens afirmarem que não são portadores do vírus HIV, 88% também afirmaram que nunca doaram sangue ou realizaram testes para saberem se têm HIV. A pesquisa também afirmou que,  apenas 5% afirmaram ter usado maconha no último ano e 3,5% fizeram o mesmo com cocaína. O fato curioso: entre as garotas, a cocaína é mais popular.
                                   
                                    

Esses dados são preocupantes, são dados assustadores. Os jovens são o futuro, e o que queremos para o futuro? Jovens depressivos, alcoólatras, viciados?  Jovens que dirigem alcoolizados? Não culpemos os pais,  adolescentes tem plena noção das atitudes e consequências, esperamos mudanças comportamentais da parte deles. E aguardamos estímulos governamentais para melhorias nestes dados.




Nenhum comentário:

Postar um comentário