quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Europa vive pior crise de refugiados desde a Segunda Guerra Mundial

A imagem de uma criança morta por afogamento em uma praia dos principais destinos turísticos da Turquia, gerou grande repercussão e tristeza no mundo nesta quarta-feira (2), os  refugiados sírios morreram tentando chegar à ilha grega de Kos.  A morte do bebê identificado retrata a pior crise de refugiados desde a Segunda Guerra Mundial.
                             
                        


 A imprensa turca identificou o menino como Aylan Kurdi, de 3 anos, cujo irmão de 5 morreu no mesmo barco. Segundo a ONU, mais de 2,5 mil pessoas morreram tentando chegar à Europa atravessando o Mar Mediterrâneo.

                                     
                                     

De acordo com uma autoridade naval síria,  d
ois barcos carregando um total de 23 pessoas, partiram separadamente da região de Akyarlar, na península de Bodrum. Entre os mortos estão cinco crianças e uma mulher. Sete pessoas foram resgatadas e duas chegaram à costa com auxílio de coletes salva-vidas. Outras duas pessoas seguem desaparecidas.

Mais de 350 mil imigrantes atravessaram o Mediterrâneo desde janeiro deste ano e mais de 2.643 pessoas morreram no mar quando tentavam chegar à Europa, segundo dados da OIM (Organização Internacional para as Migrações).
                         

Esta crise migratória já matou milhares de pessoas do Oriente Médio e da África que tentam chegar à Europa para escapar de guerras e da pobreza.
                        

    Atualização 

Nesta quinta-feira (10) , o Parlamento Europeu aprovou as medidas urgentes propostas pelo presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, para a distribuição de refugiados entre os países membros da UE ( União Européia).  


Nenhum comentário:

Postar um comentário